Associação “São Jorge Filho da Goméia” recebe qualificação de tecelagem ministradas pelo mestre Artesão Joselito Pinto

Curso intensivo faz parte do projeto ação da qualificação, que tem como objetivo qualificar 600 artesãs(os) até o fim de 2022

O Curso intensivo de qualificação para tecelagem aconteceu do dia 24 a 26 de maio e foi ministrado pelo mestre Artesão Joselito Pinto. Com carga horária de 16 horas,  fez parte do plano de ação que tem por objetivo qualificar 600 artesãs e artesãos da Bahia, no ano de 2022. 

A formação proporcionou alguns conhecimentos técnicos, como Técnica da tecelagem com fios coloridos e sisal, produção de caminho de mesa e jogo americano. Além disso, foram compartilhados alguns ensinamentos relacionados à sustentabilidade e articulação de rede, para levantamento de matéria prima para o artesanato. As aulas foram práticas e contaram com o uso das máquinas manuais de tecelagem que possibilitaram a prática da técnica.

De acordo com a coordenadora de qualificação, Geise Oliveira,“o curso de tecelagem foi fundamental para fidelizar a participação do terreiro São Jorge Filhos da Goméia no programa do Artesanato da Bahia”. Ainda de acordo com ela, essa oportunidade surge “como uma forma de fortalecer essa prática das mulheres do terreiro, que já são tecelãs e artesãs, mas tem também como objetivo ressaltar essa característica empreendedora da associação.”   

Plano de qualificação

O plano de qualificação é conduzida pela Coordenação de Fomento ao Artesanato – CFA/SETRE/BA em parceria com a Associação Fábrica Cultural, e tem como objetivo qualificar 600 artesãos e artesãs na Bahia. 400 artesãs/os terão pelo menos 20h de qualificação através do ambiente virtual de aprendizagem, e 200 artesãs/os  serão alunas de cursos com ênfase no aprimoramento da  técnica do artesanato.  

A inovação e a tradição são pilares complementares fundamentais para a concepção do projeto, e  princípios orientadores da proposta de qualificação para o setor artesanal. O projeto tem como objetivo final a geração de renda através do conhecimento no campo do empreendedorismo, e da produção artesanal de peças dotadas da riqueza cultural do nosso estado.  

preloader