Feira Artesanato Indígena encerrada com sucesso no MAM

Os produtos feitos à mão pelos artesãos e artesãs dos povos indígenas Tupinambá, Tumbalalá, Pataxó Hã-Hã-Hãe, Kiriri-Xocó, Xuku-Kariri, Kiriri, Tuxá, Xukurú e Fulni-ô, atraíram um grande público na Feira Artesanato Indígena, ontem à tarde (30/04) e neste domingo (01/05), no MAM – Museu de Arte Moderna. No primeiro dia, o público se divertiu com a música do Projeto Rede Sonora, capitaneado pelos músicos Amadeu Alves e Fabrício Rios, com participação especial de Dona Salvadora, e hoje, com a apresentação empolgante do cantor Gerônimo, que fez todo mundo dançar no encerramento do evento. Durante o evento, todos puderam conferir a exposição Resistência Pataxó, do fotógrafo Ricardo Prado, que reúne algumas fotografias registradas nas comunidades desta etnia.

A edição indígena do Artesanato da Bahia, faz parte do projeto Abril do Artesanato Indígena, que foi aberto com feira e encontros de artesãos indígenas em Prado, no Extremo Sul da Bahia. No MAM, o artesanato foi comercializado pelos próprios indígenas, que interagiram com o público sobre as técnicas e os materiais utilizados na fabricação.

“A Feira encerra a vitoriosa programação do Abril do Artesanato Indígena em que percorremos os municípios de Porto Seguro e Prado realizando Feiras, ações de qualificação e a inédita Caravana de Cadastramento de Artesãs (ãos) Indígenas que resultou na emissão de 105 Carteiras Nacionais de Artesã/ão. São ações que reconhecem pioneirismo, qualidade, beleza e importância do artesanato produzido pelos povos originários e impulsiona a geração de trabalho e renda neste segmento”, comentou Ângela Guimarães, coordenadora de Fomento ao Artesanato da Secretaria de Trabalho, Emprego, Renda e Esporte da Bahia (CFA-SETRE).

Em composições tradicionais e contemporâneas, os acessórios eram alguns dos objetos mais desejados na feira, principalmente os colares, pulseiras e brincos com penas de animais domésticos, madeira, semente e fibras naturais. Destaque também os utilitários talhados à mão em madeira e a cerâmica em argila, trançados de fiada e tecida em aió, cocares, arcos e flechas e os instrumentos musicais como maracas e apitos, entre outros.

A realização da Feira Artesanato Indígena é uma iniciativa da Coordenação de Fomento ao Artesanato da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), em parceria com a Associação Fábrica Cultural. O evento conta com o apoio do Museu de Arte Moderna da Bahia, do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia – Ipac, das Secretarias de Cultura e de Políticas Públicas para as Mulheres, do Movimento Unido dos Povos e Organizações Indígenas da Bahia (Mupoiba), do Centro de Economia Solidária de Salvador e da Federação das Associações de Artesãos da Bahia (FAAEB).

preloader